Coisas que não te contam sobre morar no exterior

Estou sumida, eu sei… Semana que vem faremos quase 4 meses de Londres resolvi fazer um post mais introspectivo e filosófico. Conversando com uma colega de trabalho hoje, ela comentou que achava que não conseguiria mudar de país e deixar tudo que ela conhece pra trás. E isso me inspirou a escrever esse post. Preparem os lenços! Antes disso, uma introdução pertinente:

É engraçado como a cabeça de algumas pessoas funcionam. Muitas delas acham que só porque nos mudamos para Londres/Europa/Etc, DE REPENTE, viramos ricos/chiques/felizes/realizados ou qualquer outra idealização de vida perfeita que você quiser colocar aqui. Que a vida acima do Equador é o reino encantado da Xuxa. Então para estes, um pequeno aviso: Não, você simplesmente não será mais feliz. Não, dinheiro não brotará magicamente na sua carteira infelizmente. Sinto em desapontar, mas você não tomará chá com A Rainha em louças finas, banhadas em ouro.

central_line
Hello Central Line!

Aqui tem metro abarrotado sim! Pessoas mal educadas sim! Problemas no trabalho sim! Entre várias outras coisas que não vem ao caso. O ser humano é extremamente complexo e a simples mudança de lugar que não faz seus problemas acabarem. Você terá que lidar com toda a sua bagagem só que em um outro idioma.

A empresa onde eu trabalho tem um time bem multi-cultural. Gente de todo o lugar do mundo, mas por alguma razão, eu caí no time mais britânico da empresa. Acho que quase todo mundo nasceu ou então cresceu aqui. Por um lado é super legal porque tenho pequenas imersões na cultura inglesa que falam que é cada vez mais difícil encontrar em Londres. Por outro lado, isso também significa que algumas vezes eu não faço a menor ideia do que eles estejam falando.

giphy

E não é por causa do idioma ou das expressões locais, entendo as palavras que eles estão falando, mas nada faz sentido. hahahah É você receber um email perguntando se você quer participar em uma aposta e não entender no que eles estão apostando, ou falarem sobre como foram alocados em escolas e você não saber que você simplesmente não pode matricular sua criança em qualquer uma. É fazerem uma piada sobre a localização de alguma cidade da Inglaterra, todo mundo rir e você não saber se ela é a 15 mins ou 10h de onde você está e perder a piada. Participar de um quiz de conhecimentos gerais, não saber nenhuma resposta e ser carregada como um peso morto pelo seu time. Tá, exagerei, eu sabia a resposta de duas ou três.  E em alguns momentos, você nunca vai se sentir tão brasileiro NA VIDA.

São exemplos simples e bobos, mas quem imigra passa por essas coisas todos os dias, o tempo todo. Apesar de saber a lingua, saber o trabalho, meu sentimento em alguns dias só pode ser definido como um peixe fora d’agua, em várias instâncias, esferas e graus, como vocês puderam ver na saga do banco.

Nós temos um background e referências absolutamente diferentes de todo mundo que está aqui. Tenho certeza que ninguém do meu time sabe quem é a Nazaré Tedesco, ou o que é um hot dog com catupiry. hahahaha É quase como se você nascesse de novo, já adulto e alguém te joga la, bate nas suas costas e fala: Vai! O que pra eles é super comum, a gente nunca ouviu falar, tipo Grand National (explicação no final do post). E isso porque estamos falando de um país do ocidente, que temos contato frequente, seja por filmes, literatura, relatos, e etc. Imagino quem vai pra outros lugares, tipo Coreia, Azerbaijão, sei la. Ponto pro meu time: eles têm uma paciência enorme de me explicar do que estão falando. Mas admito que algumas vezes tenho vergonha de perguntar e só sorrio e aceno a cabeça.

Essas são algumas das coisas de imigrar que ninguém conta em post de Facebook ou foto do Instagram. Daquele momento que você só queria fazer um brigadeiro pra ter um gostinho de casa e não sabe comprar um chocolate em pó, fica uma porcaria, duro e você taca tudo no lixo em um momento de raiva porque não tem um chocolate igual ao do padre. Ou quando você sai pra almoçar em uma rua cheia de restaurantes, food trucks e etc e fica perdida porque não sabe o que comer, porque você simplesmente não sabe o que é nada daquilo. E logo lembra daquele restaurante por quilo que você sabia até que dia tinha aquele peixinho delícia.

Calma gente, está tudo bem, de verdade… Não chorem por mim Argentina. Não estou arrumando as malas pra voltar por enquanto hahahaha Não me entendam mal, Londres é incrível e agradeço todos os dias a oportunidade de estar aqui. Continuo adorando. Então por que estou contando tudo isso? Porque apesar de todos os perrengues, momentos de “o que eu estou fazendo aqui” é exatamente essa a beleza de sair do seu país de origem. É agridoce. Você deixa o conforto de tudo que você sabe quase tudo, mãe me trouxe o chocolate do padre no fim das contas!! e vivencia o diferente. Vocês sabiam que na prova de direção deles você tem que mudar de mão na rua (virar 180 graus) fazendo apenas 3 manobras? Pois é!

Em quase 4 meses, tenho um arsenal em crescimento de conhecimentos aleatórios da cultura britânica/européia. Estou saboreando novos gostos e combinações de comida que nunca tinha provado na vida. As vezes me dou mal com elas, é verdade, mas de modo geral tem sido bem interessante meus kgs extras que o digam. E indo em lugares que nunca tinha imaginado que iria, que eventualmente aparecerão aqui. E tudo isso é impagável. Posso voltar amanhã pro Brasil ou ir para outro lugar, não sabemos o que o futuro nos reserva. Mas o que absorvi com essa experiência ninguém tira e tenho certeza que levarei para a vida inteira. E pra mim, isso por si só vale alguns dias de Ruppert o Peixe Artista. (Entendedores entenderão, mas segue o link em todo caso)

No fim, acabou sendo um post sério né?! Meio desabafo, dica, recomendação, entendam como quiser. Se você está no Brasil, vê as fotos e publicações de alguém e imagina que seja o mundo perfeito, saiba que nem tudo é lindo e maravilhoso. Apesar de muitas vezes o ser. Para quem pensa em morar fora, fica a dica que irá passar por tudo isso. Por mais que seja fluente no idioma, já tenha ido passear, conheça uma pessoa lá, etc etc. Algumas pessoas se adaptam e outras não e isso é absolutamente normal. Algumas pessoas simplesmente são como minha colega de trabalho e não há mal nenhum nisso.

BrightonEntão meu amigo/amiga/conhecido/parente/leitor, uma coisa que aprendi com os ingleses que adoram fazer referencias ao tempo. Sair do seu país não será todo dia de sol e céu azul, então 1- saiba aproveitar também os dias chuvosos. 2- E quando o sol sair, vá pra algum lugar absorver o máximo que puder. A sua vida agradece.

*Grand National é uma corrida de cavalo, aparentemente super tradicional aqui e a que mais movimenta as casas de aposta do país.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s