Vou sair do país, como levar meu dinheiro?

A mudança para um novo país sempre traz diversas dúvidas e uma delas é relacionada ao dinheiro. Quando você está saindo do país para fazer turismo, o limite de até R$ 10.000* (ou equivalente em moeda estrangeira) é bem razoável. Eu nunca levei tanto dinheiro assim pra nenhum lugar, quem sabe no futuro! Acho que isso vai da situação econômica de cada um… Mas quando você está indo para morar, esse valor acaba não sendo tão generoso assim. Você vive no Brasil, tem seu salário, suas reservas, o dinheiro das coisas que você vendeu e chega o momento de ir embora e é difícil saber como levará toda essa (pouca) grana embora.

A primeira opção é sempre levar dinheiro vivo (cash). Você vai em uma casa de câmbio e troca seus suados muitos reais por algumas poucas rainhas (no caso do Reino Unido), paga 0,38% de IOF, apresenta os documentos e pronto. Uma dica que eu dou, se cadastre em uma corretora para receber por email as cotações todos os dias. Esses valores são sempre mais baixos que aqueles que elas apresentam em suas lojas físicas. Você pode levar este email e chorar a cotação, eles sempre dão uma abaixada. Principalmente se o email for de uma corretora concorrente.

Para quem é de São Paulo, tenho uma dica muito boa, a Cambio Store. Minha definição é que é um marketplace de corretoras de câmbio, onde você sempre consegue sempre as melhores cotações. Tudo é feito de forma digital, cadastro, cotação e pedido e você pode 1- agendar a entrega em um endereço (pagando uma taxa de R$ 30,00) 2- retirar em uma corretora (sem custo). Todo o (pouco) dinheiro em espécie que eu trouxe foi comprado pela Cambio Store. Já peguei diferença nas cotações de R$ 0.20 – R$ 0.50. Parece pouco, mas em valores mais altos, a economia faz toda a diferença. Em algumas compras ganhei de 10 – 25 libras a mais quando comparado com as cotações direto nas corretoras.

A segunda alternativa, utilizar aqueles cartões pré pagos Visa ou Master onde você carrega moeda estrangeira. Depois do aumento do IOF para 6,38% deste tipo de cartão, ele não está mais tão atrativo quanto antigamente, quando fiz esse post.  Para quem não tem cartão de crédito internacional ele ainda vale e a grande vantagem dele ao cartão de crédito convencional é que você trava a cotação da moeda para o dia em que carregou o dinheiro. Evita os sustos caso haja alguma instabilidade   E é uma forma de não precisar ficar carregando muito dinheiro com você em pessoa. Ele é amplamente aceito sem problemas e alguns podem ser carregados em várias moedas.

A terceira e última forma que eu utilizei foi a seguinte: deixar o dinheiro no seu banco no Brasil e após abrir a conta num banco no exterior, fazer a transferência de valores. Para este caso eu utilizei o Transferwise. Conhecido informalmente como o Uber das transferências, ele utiliza contas locais para evitar que você pague as grandes taxas de transferências internacionais. Como ele evita isso? Como pessoas estão movimentando dinheiro o tempo inteiro de um lugar para o outro, a empresa possui contas em vários países. Então se você está no Brasil e quer enviar dinheiro para o Reino Unido, o dinheiro não precisa “ultrapassar fronteiras” e com isso pagar taxas internacionais. Você transfere para a conta da Transferwise no Brasil por meio do pagamento de um boleto bancário. E a Transferwise transfere da conta dela para sua conta no Reino Unido o dinheiro que alguém (provavelmente várias pessoas) queria enviar do Reino Unido para outro lugar. Assim o dinheiro do Reino Unido não sai do Reino Unido e do Brasil não sai do Brasil. Deu pra entender? Você paga por boleto, eles cobram uma taxa de 2.5% sobre o valor da transação (que é como eles ganham dinheiro) e o IOF já está incluso no valor da cotação do Brasil.

Tinha um pouco de receio, mas muitos me recomendaram em vários grupos no Facebook. Além disso, pesquisei na internet e a empresa parece bem séria. Antes de realmente transferir o montante total realizei alguns testes e tudo funcionou da forma como deveria. Então, mandei bala. Há aqui também o limite de R$ 10.000 de envio dentro do mês.

Então trouxemos em espécie o suficiente para os gastos imediatos com roupa de inverno, comida e transporte.Uma quantia menor no cartão VTM para não ficarmos com todo o dinheiro em espécie. E o demais foi transferido para nossa conta aqui pelo Transfewise. Como no nosso caso precisávamos ter uma quantia não só pra sobreviver, como também para pagar o aluguel, depósito e etc optamos por fazer este mix destas três formas descritas acima. Logo virá um post apenas para falar sobre o aluguel em Londres, aguardem! Ah a abertura de conta no banco e como lidar com ela também merece um post a parte…. porque olha…?!

*Uma observação, você pode sair do país com mais de RS 10.000, basta fazer uma declaração eletrônica de portes de valores em que você precisa apresentar uma série de documentos, entre eles:

– comprovante da compra em instituição financeira autorizada a realizar a operação de câmbio;

– a declaração apresentada à Receita Federal na chegada ao Brasil em valor igual ou superior ao que está sendo transportado;

– ou o comprovante de recebimento de ordem de pagamento em moeda estrangeira feita em seu favor ou de saque feito por cartão de crédito internacional para o caso de estrangeiros ou brasileiros que vivem no exterior e que estão apenas em trânsito no País.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s