Contiki: o review parte 2

O post passado foi sobre os atributos gerais da excursão, nesse vou aprofundar por tópicos. Volto a dizer que só posso analisar o tour que eu comprei, mas acho que dá uma luz para todos os outros. 

A acomodação era ok, nada grandioso até porque fui num tour budget. Elas pareciam muito com albergues e normalmente o quarto era dividido por 4 ou 3 pessoas. Todo dia o manager passa os ‘room lists’ e você vai colocando o seu nome. Você sempre cai com uma pessoa diferente, a não ser que faça muita questão de ficar junto, e que haja espaço na lista para colocar todos. Teve 1 dia que eu dormi num quarto diferente da Pri (companheira de viagem). Na Suiça, o banheiro era fora do quarto, e os chuveiros eram no subsolo. Para quem tomava banho 2x por dia, é chatinho, porque você tem que atravessar todo o hostel, passar pelo bar, com suas coisas de banho, a noite. E passar frio de manhã para descer até lá. Apenas 2 possuiam porta com tranca e com espaço privado para colocar roupas, toalha e etc. O resto era com cortininha e você pendurava sua roupa no cabide comunitário (então tinha que acordar cedo).

A comida inclusa variava de acordo com o local, mas em geral eram gostosas. Só que alguns lugares era tudo muito contado. Por exemplo, você só podia se servir 1 vez, ou pegar 1 queijo, mesmo se não comesse carne. Eles perguntam se a pessoa segue alguma dieta especial (vegetariano, kosher, etc) Mas já aviso que se tiver algo que você não coma, avise o manager logo no começo. Eu não fiz isso porque não sabia (não como presunto), e tive que ficar sem comer croissant em Paris, porque eles só tinham sem presunto para as pessoas vegetarianas (contado 1 para cada). O café da manhã compreendia normalmente: fruta, pão, sucrilhos e outros e 1 bebida quente (chá, leite, etc). Alguns lugares faziam coisinhas diferentes a mais. A comida de Paris foi a melhor, tanto o café da manhã quanto o jantar. Nos lugares exclusivos do Contiki, tinha um esquema de Cookies e Dishies, onde nós ajudávamos os reps (pessoal do contiki que cozinhava e tomava conta do lugar). Os Cookies chegam 15 mins. antes da refeição e ajudam a servir a comida, ou preparar algo. Os Dishies, a retirar a louça no final 15 mins. depois. A escolha é por sorteio, teve gente que nem foi chamada. Apesar de ter feito isso 2 vezes, eu gostei. Não precisa saber cozinhar nem nada, eles te dão tarefas triviais como cortar pão, ou servir hamburguer. Fazendo um balanço:

Pontos positivos:

  • Ótimo para treinar o inglês. Tem pessoas com os mais diversos sotaques falando o idioma. é ótimo para vc treinar a escuta e também se soltar e sair falando. Não pode ter vergonha de errar ou de perguntar oq não entendeu e/ou o que quer falar.
  • Conhecer pessoas de todos os lugares. Apesar da predominância norte-americana (Can e Eua), a diversidade de pessoas é muito grande e isso é muito legal. Tinha gente até de Bangladesh na minha excursão. 
  • Você conhece muitos lugares diferentes, com pessoas jovens, que já direcionam o tour para a nossa faixa etária. Não perdemos tempo com ‘coisa de velho’, a não ser que você queira.
  • Você não tem a preocupação de ter que arrumar todos os detalhes da viagem, simplesmente senta no ônibus e quando chega, a comida está pronta, a cama feita, o passeio pago, e etc.
  • Muitas excursões opcionais legais que melhoram a sua experiência no lugar, te dão maior contato com a região.

Pontos Negeativos:

  • Você passa pouco tempo nos lugares, entao não da para conhecer profundamente. Dentre as várias opções do que fazer, você deve priorizar uma e deixar o resto para ‘se houver tempo’ o que  dependendo do tamanho da cidade, quase nunca há.
  • As pessoas estão pelos mais diversos motivos na excursão, uns só querem beber, outros querem conhecer museus, outros só fazer compras. Até aí tudo bem, cada um faz oq quiser. Só não é legal quando os beberrões te acordam por fazerem muito barulho no corredor. 
  •  No fim da excursão, o manager pede uma gorgeta para ele e para o motorista. Normal… Só que eles estipulam um valor mínimo a ser pago de 2 euros por dia de excursão (no meu caso deu 20 p/ ela e 20 para ele). Se não quiser partir em maus termos com o manager, dê o valor que ele pediu ou mais se puder. Agora se não ligar para isso, dê o que você acha adequado.
  • Algumas excursões opcionais são só para ganhar dinheiro, visivelmente.
  • Passa-se muito tempo no ônibus, nos primeiros dias, tudo bem. Mas depois vai cansando, principalmente na minha que o maior trajeto foi também o último. Mas o manager tenta animar as coisas, e tem sempre paradas.

De modo geral, achei totalmente boa a experiência, me diverti muito, aproveitei muito. Mesmo não sendo muito chegada em festança. Acho que o Contiki serve para pessoas que vão à Europa pela primeira vez, e não querem fazer as coisas sozinhas, que querem conhecer o maior número de país, no menor tempo. Valeu a experiência, mas se eu fosse voltar para a Europa agora, iria por totalmente conta própria.

4 comentários Adicione o seu

  1. Bacana seu relato. Estou pensando em fazer o Contiki Disovery em fevereiro e opiniões de quem ja fez são sempre bem vindas. =]

  2. Alane disse:

    Olá. Gostaria de te perguntar uma coisa, eu estou pretendo fazer o contiki em londres e paris, no entanto nao falo muito bem ingles.. desenrolo, mas nao sou fluente.. voce acha que da pra enfrentar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s