O Vale do Loire

castelos do loire

Quando comecei o curso de francês na Aliança Francesa – com uns 13 anos – recebi uma France Guide que falava sobre os castelos desta região. Fiquei apaixonada, e decidi de imediato que assim que fosse para a França, não iria deixar de conhecer pelo menos alguns. Fui, e continuei apaixonada, mas descobri que a região demanda muito mais tempo, para que possamos descobrir seus segredos. Então, estou disposta a voltar lá outras vezes. Mas o que é o Vale do Loire?

 O Loire é o rio mais longo da França, e ao longo dele estão localizados mais de 300 castelos, hoje, Patrimônio da Humanidade/UNESCO. As construções na região começaram com a necessidade da criação de fortalezas no século X, em plena idade média e suas infinitas disputas, sendo a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), a que mais atraiu nobreza para este local. Entretanto, a partir de 1461, o rei Luís XI transformou a região de Tours na capital francesa, e de lá iniciou a reconstrução do país. Influenciado pela posição central no território do reino, e pela proximidade do grande rio, que era o meio de transporte e comunicação mais importante da época. A mudança da nobreza para a região, nesta época, alterou a arquitetura dos castelos que era baseada no conceito medieval de fortificações. O rei Carlos VIII, com a contratação de artistas e arquitetos italianos para a corte, incentivou inúmeras  remodelações dos palácios com caracterísiticas renascentistas. Em 1594,  a capital da França  retornou à Paris, mas a região continuou importante para os reis e a nobreza, mas como local de lazer e casa de veraneio. Para quem gosta de história, como eu, é uma região fascinante, pois podemos vivenciar uma parte dos acontecimentos que  mudaram os rumos da civilização ocidental. Nesta região viveram Leonardo DaVinci, Catarina de Medici e Diane de Poitiers, Joana D’arc, Balzac e outras personalidades muito conhecidas. Para quem procura cidades românticas e bons vinhos, a região também oferece muitas opções.

O Vale do Loire é conhecido como o Jardim da França, também por apresentar terras férteis e cultiváveis. A culinária local é bem diversificada, apresenta abundância em queijos, vegetais e frutas. Além de produzir bons vinhos, seus principais Melon de Bourgogne (Muscadet), Chenin Blanc (Vouvray, Savennières, etc. e outros espumantes), Sauvignon Blanc (Sancerre, Quincy, Tourraine e outros da região central), Cabernet Franc (Chinon, Bourgueil, Saumur Champigny),
Pinot Noir (Sancerre Rouge). Quem gosta de vinhos, não pode perder a oportunidade de fazer degustações nas diversas Caves de lá. Os vinhos não são caros e são saborosos (para uma pessoa que não tem muitos conhecimentos sobre vinho, como eu… rs)

Este post teve como objetivo fazer uma introdução da importância histórica da região para a França, e que hoje também tem grande importância turística. Próximos virão com detalhes das cidades e dos castelos que visitei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s