Roteiro pelo centro de São Paulo

Uma quebra na rotina de cidades européias, resolvi falar hoje de uma brasileiríssima.

Muitas pessoas falam que só somos turistas na cidade dos outros. Faz tempo que faço de São Paulo minha cidade aos fins de semana, desde 2007. E mesmo assim, nunca tinha conhecido alguns pontos principais da cidade. Semana passada resolvi acabar com isso. Guga e eu fomos à um passeio no centro de São Paulo a pé. ADOREI! Iniciamos o passeio pela praça da Sé, o marco zero da cidade. Um pequeno monumento que serve como indicação das rodovias que saem da capital. Descemos na estação de metrô do mesmo nome, e andamos até a Catedral da Sé. Ela começou a ser construída em 1913 e foi conluída em 1954. No local original da antiga Catedral de São Paulo, construída em 1589. Ela lembra muito a Catedral de Notredame, talvez por serem do mesmo estílo arquitetônico, o gótico. Achei lá dentro belíssimo.

De lá, partimos ao Largo de São Francisco, onde fica a faculdadejurídica mais antiga do Brasil, criada em 1827.  Uma pena o prédio da faculdade estar fechado, pois seria interessante ver como ele é por dentro. O prédio lemra aquelas construções da época do Império, e ao lado tem uma Igreja de São Francisco muito bonitinha. Por um momento, me lembrou Salvador e o Pelourinho.

Chegamos ao Pátio do Colégio (ou Páteo do Colégio), local de fundação da cidade, e onde está localizado o Museu do Anchieta, sobre o Jesuíta. Além de uma capela, foi recém reformada, possui um altar com um crucifíxo do século XVII e fundo de azulejos dourados. Mas a arquitetura da capela é bem simples, como deveria ter sido na época da fundação. Uma peça peculiar que está em exposição lá dentro, é o fêmur do Padre José de Anchieta. Não me pergunte o porquê, nem a razão de ter apenas um osso da perna… rs

No mesmo local, existe um café-restaurante super charmoso, Café do Pateo, cheio de jardins e mesinhas. Eles servem almoço e várias sobremesas. Para quem gosta, recomendo a tortinha de morango, uma das melhores que já comi. Os pratos individuais custam por volta de R$ 22 a R$ 30. Dalí andamos bem pouquinho e saímos na Ladeira Porto Geral (Metrô São Bento), porta de entrada para a super conhecida região de comércio ilegal da 25 de março. Como sempre estava bombando. Se for se aventurar a descer a ladeira, esteja preparado para o empurra-empurra muvuca. Como sou habitué da 25, não fui até lá. Você ainda pode passar pelo Mosteiro de S. Bento ( onde ficou hospedado o Papa), e subir no prédio do Banespa, aquela torre famosíssima (apenas em dias de semana)

Voltei em direção à praça da Sé, em direção à praça João Mendes, segui na direção da Liberdade. Foi lá onde almocei . Bairro dos imigrantes orientais da capital paulista, a região é um prato cheio – desculpe o trocadilho – para quem gosta de comida oriental. Existem restaurantes, japoneses, chineses, coreanos, enfim… Minha recomendação é um por quilo, Itiriki, que fica bem na Praça da Liberdade mesmo. Há uma farta opção de pratos da culinária chinesa e japonesa, à preços acessíveis. O bairro tem existem lojinhas com produtos orientais, mercadinhos e uma feirinha cheia de produtos bacanas. Para as mulheres: na rua Galvão Bueno, tem uma loja de cosméticos de vários andares, a Ikesaki, e shoppingzinhos com boxes de produtos de cabelo de marcas ‘premium’ um pouco mais baratos que o convencional.

Fiz tudo isso e quando decidi voltar para casa, estávamos no meio da tarde, 15 h. Cheguei a uma conclusão, São Paulo aos fins de semana é uma cidade maravilhosa! Nos oferece opções infinitas do que fazer. Só uma recomendação… Ao fazer esses passeios é bom ir de manhã e estar bem atento aos pertences, pois o local tem muitos moradores de rua, viciados e etc.  Oportunistas furtam carteira, celulares, e outros pertences de valor, ou te assaltam na cara dura. Então vá previnido, bolsa sempre visível, muita atenção e nada muito ostentoso na roupa e acessórios. Os contrastes da cidade… rs

 O mapinha abaixo só falta a região da liberdade, mas é super fácil chegar a partir da praça da Sé. Seguindo o traçado, dá para conhecer tudo que falei e muito mais.

Mapa do centro
Mapa do centro

Para quem não quiser se aventurar sozinho, existem passeios organizados em grupos, pelo centro. Eles acontecem de terça a domingo, às 10h e às 14h. São cerca de 2 horas de passeio, sem visita interna aos prédios. O ponto de partida é na praça Antonio Prado, 9. Informações: 0/xx/11/ 3241-5822 (ramal 221).

Outros  passeios:

Andar vagarosamente, absorvendo a Av. Paulista desde o início na Av. Bernardino de Campos, até a Rua da Consolação. Acho uma das mais bonitas avenidas que já conheci. Os prédios, alguns casarões, o movimento dos carros, o Conjunto Nacional. (Faça isso de preferência fora dos horários de pico ou no fim de semana, para não correr o risco de ser levado pela multidão de trabalhadores)

Descer no metrô Praça de República e andar na Av, Ipiranga até avistar o Copan, prédio projetado por Niemayer. Passo lá sempre, e sempre ele me chama atenção. Siga até a Av. Consolação, e chegue na Catedral, belíssima também.

2 comentários Adicione o seu

  1. Gustavo disse:

    Eu tb adorei o nosso passeio, nat! A tortinha de morango estava uma delícia mesmo! Agora espero conseguir arrastar vc até o Villa Lobos. Eu não desisto! kkk. O blog continua lindo! Bjs.

    1. Natalia Vargas disse:

      Okok… vou me render ao Vila Lobos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s